Categoria De Mãe pra Mãe

Jornalismo: 5 maneiras de ser feliz!

Essa semana foi dia do repórter e eu postei no instagram uma foto do início da minha carreira. Na época eu dava os primeiros passos no jornalismo nas emissoras afiliadas a TV Globo no interior de SP. No post relembrei um pouco das minhas passagens por Sportv/Globo, Tv Record, Band e até Nat Geo. Fiz uma mini viagem no tempo…que delícia recordar… Bom, a questão que me chamou atenção depois

Continue lendo…

Criança pode ajudar!

Quando nos mudamos pros EUA quase cinco anos atrás mudamos muita coisa, não só de endereço. Mudamos nosso estilo de vida, nosso olhar sobre as coisas. Como passamos a trabalhar mais em casa, por exemplo, decidimos cuidar mais dela. E isso inclui todos os serviços e todo mundo da casa. Sim, criança pode ajudar. E, na minha modesta opinião, criança deve ajudar. Criança pode ajudar! Antes de mais nada eu

Continue lendo…

5 motivos para amar a escola nos EUA

Escola nos EUA Desde que eu mudei com a família para os Estados Unidos eu descobri que morar aqui é bem diferente de passar férias. Pode parecer besteira o que acabei de dizer mas, vai por mim, é a mais pura verdade. Afinal de contas, nem tudo são flores (nem aqui e nem em qualquer outro lugar do mundo). Agora, se tem uma coisa que eu passei a amar aqui,

Continue lendo…

Mudar é bom

Eu gosto de mudar. De casa, de cidade, de país. Gosto de mudar de shampoo, desodorante, perfume. De estilo, de mudar de restaurante, de mudar de assunto. De mudar de opinião. Detesto tudo que se repete sempre igual. Acho perda de tempo, falta de criatividade, parece preguiça. E acho que é exatamente que a foto que ilustra esse post significa muito pra mim.  Porque mostra que mudei! Mudar Acho que

Continue lendo…

Morte não espera planos acontecerem

Desde o fim de semana que não penso em outra coisa. A morte não espera os planos acontecerem. Não espera as contas estarem pagas. A causa ser ganha. O salário cair. A morte não espera o fim de semana passar. O feriado chegar. As férias serem curtidas. A morte não espera você fazer a viagem dos seus sonhos. Não espera você fazer as pazes com aquele amigo. Não espera você

Continue lendo…

Mãe não pode se anular

Todos os dias famílias inteiras chegam em Orlando para morar. A maioria vem procurar qualidade de vida. Segurança. Em quase todos os casos o pai já sabe o que vai fazer. As crianças já sabem onde vão estudar. E a mãe que no Brasil era professora, arquiteta, advogada? Ah, a mãe está achando lindo que vai finalmente ter tempo de cuidar mais da casa. Fazer sua ginástica. Almoçar com as

Continue lendo…

Colo: eu não dou mais…

Logo eu, que nunca neguei. Logo eu que estava sempre a postos, não importava o lugar, a roupa, meu cansaço. Logo eu que cheguei a carregar a mais velha enquanto amamentava a caçula para evitar ciúmes. Pois eu não pego mais minhas filhas no colo quando estou em pé. Por que? Simplesmente porque elas cresceram e eu não consigo mais…(nesse momento cai uma lágrima). Colo Me lembro da primeira vez

Continue lendo…

Motim “contra os pais”!

Minhas filhas brigam. Muito. Mas basta eu e meu marido deixarmos as duas de castigo, ou negarmos algo que as duas querem…e pronto. Elas se unem como nunca…contra mim e contra ele! É isso mesmo! Na minha casa é preciso pouco para nascer um motim, uma rebelião. De “inimigas” Nina e Maitê passam a aliadas num piscar de olhos. Motim contra os pais! Antes que alguma mãe politicamente correta se

Continue lendo…

Bolo de aniversário caseiro sim!

Semana passada comemoramos os nove anos da Nina com uma festa pequena. Poucas amigas. E toda comida feita…por mim! Isso mesmo! A festa da Nina teve bolo de aniversário caseiro sim! E teve brigadeiro de copinho também (porque achei mais fácil do que enrolar um por um). Teve pizza. Teve lembrancinha que eu comprei numa casa de festas. E por isso tudo a festa teve um sabor especial, na minha

Continue lendo…

Filhos crescem rápido demais

Esse texto é um desabafo. Porque nossos filhos crescem rápido demais. E eu não estou sabendo lidar com essa velocidade. Enfim, hoje Nina, aquele bebê que pelas minhas contas nasceu ontem, completa 9 anos. Oi? Cadê aquela criancinha que sorria pra tudo e só dormia quando a gente balançava o carrinho? Cadê o bebê que tinha cabelo ralinho e sorriso sempre aberto? Cadê a pequenininha que chegou com uma pintinha

Continue lendo…