familia facebook pixel

Categoria De Mãe pra Mãe

Verdade: quando falar tudo?

Hoje Nina entrou no carro e me colocou contra a parede (ou melhor, a direção). “Mãe, é sério que o Papai Noel não existe? Ele não é de verdade?”. Gelei. Será que tinha chegado o temido momento em que elas descobrem tudo e não somos mais capazes de prolongar a magia? Será que acabaram os momentos escrevendo a cartinha? Nada mais de tirar foto abraçada no bom velhinho? Falo a

Continue lendo…

Racismo, intolerância, ódio

Como ensinar as crianças a lidar com o mundo como ele está? Um mundo cheio de racismo, intolerância, ódio. Lotado de preconceito. Desamor. Cheio de más intenções e falsidade. Não, não estou de TPM nem sofri qualquer decepção importante nos últimos dias. Ou sim, sofri sim. Sofri uma decepção com a humanidade. Mais uma. Entre tantas que colecionei ao longo da vida. Racismo Dessa vez foi com uma pessoa que

Continue lendo…

Manipulação: especialidade da casa

Odeio manipulação. Odeio quando as pessoas tentam me obrigar a fazer alguma coisa que eu não quero. E odeio que façam isso com qualquer pessoa que eu gosto. Me deixa doida! Pois e quando essa manipulação acontece dentro da sua própria casa? Pois essa é a minha realidade nesse exato momento. Nina, 7, está manipulando Maitê, 5, debaixo dos meus olhos. Manipulação mirim O plano foi descoberto no domingo. Maitê,

Continue lendo…

Teste vocacional vale a pena?

Seu filho tem 17 anos e não sabe o que vai ser quando crescer. Você faz o que? Tenta ajudar encontrando um teste vocacional para ele? Mas e se o que ele realmente gosta é de ser maquiador, vendedor de loja, contador de histórias de festas infantis? Será que o teste vai realmente ajudar? Estou longe de passar por isso, minhas filhas ainda são crianças. Mas ando vendo a angústia

Continue lendo…

Reclamar está na moda

Ter filhos dá trabalho? Dá. Amamentar é difícil no começo? É. Ficar sem dormir acaba com a gente? Com certeza. Mas, vamos combinar, nada disso é um bicho-de-sete-cabeças. Todo mundo sobrevive (tanto é verdade que muitos casais tem mais de um filho). Que tal então parar de reclamar de tudo que diz respeito ao universo materno? Reclamar é moda Parece até que virou moda. Canso de ver posts em que

Continue lendo…

Come tudo, vó!

Engraçada a vida. Ainda outro dia eu era uma criança brincando no sítio da minha avó Lorena em Valinhos, interior de São Paulo. Passávamos lá quase todos os finais de semana e a maioria das férias. Éramos em 8 primos, uma farra só. O sítio tinha piscina, parquinho, galinhas, horta, pomar, cavalo. E muita comida na mesa sempre. “Come tudo”, era a frase que minha avó mais repetia. Nem precisava.

Continue lendo…

Desejo de grávida: não tive!

Eu não tive desejo de grávida. Em nenhuma de minhas gestações. Não senti vontade de comer sorvete com sopa de tomate nem melancia com carne moída. Nunca acordei no meio da noite pedindo pro meu marido comprar sanduíches malucos ou fazer milkshakes doidos. Não aconteceu nada de diferente com meu apetite. Desejo estranho Mas sei de gente que tem tudo isso. Que sonha com comidas exóticas. Que perturba o marido

Continue lendo…

Carta para grávida recente

Essa é uma carta para grávida que acaba de fazer o exame da farmácia. Não sabe ainda se está esperando menino ou menina. Não contou para ninguém a novidade. Enquanto isso, fica imaginando como será ter uma barriga enorme. Um ser humano com a sua cara. Ou a do marido. Ou a da sogra. Que ainda não tem enjôo nem desejo mas, como “todo mundo tem”, decidiu pedir sorvete para o

Continue lendo…

Elas fazem o que quiserem comigo!

Tem dias em que estou com uma unha de cada cor. Em outros tenho “tatuagens” feitas de canetinha nos braços, pernas, pescoço. Tem aqueles ainda em que vou para o trabalho com band-aid da Barbie, dos Trolls, da Minnie nos dedos. E por aí vai. Não estou nem aí. Isso tudo é obra das minhas filhas e elas fazem o que quiserem comigo sim!!! Elas mandam! Podem me chamar de

Continue lendo…

Pequenos cidadãos do mundo

Se alguém me perguntasse hoje como são os pequenos que mudam de país eu diria que são cidadãos do mundo. São pessoas mais desapegadas. Menos enraizadas. Que se despedem mais fácil. Que se acostumam mais rápido. Que estão prontos para encarar qualquer novidade sempre. Que não se assustam com mudanças. É isso. Acho que o maior aprendizado que um pequeno leva para a vida depois mudar de país é aprender a gostar

Continue lendo…