familia facebook pixel

Escola bilingue: 5 dicas para ajudar a escolher

Não adianta negar. Falar inglês é importante. Essencial para o futuro dos nossos filhos. Tanto que esse foi um dos motivos da nossa mudança para os EUA, inclusive. Infelizmente, nem todo mundo pode fazer o mesmo. Mesmo assim, a maioria dos pais quer ajudar as crianças a se relacionar com a língua inglesa. Mas como escolher a melhor escola bilingue?

Escola bilingue: escolha com cuidado!

Uma das principais características de uma escola bilíngue é que a criança não tenha apenas aulas de inglês. O idioma tem que ser utilizado para ministrar outras disciplinas. O conteúdo de matemática, ciências, artes e educação física, por exemplo, tem que ser em inglês.

Mas isso não é tudo. Outros detalhes podem fazer a diferença. A convite do Família Muda Tudo as irmãs e mestras em educação Fátima e Vanessa Tenório elaboraram 5 dicas para ajudar os pais. A dupla entende muito do assunto. Juntas elas desenvolveram o Systemic, programa pioneiro de educação bilíngue no Brasil presente em 35 escolas em diferentes regiões do País.

5 dicas para escolher a escola bilingue

1 – Carga Horária

Os pais devem se atentar a quantidade de horas/aula de inglês que a escola bilingue oferece. Segundo as especialistas, 6 horas/aula por semana é o número mínimo para que as crianças alcancem os resultados desejados;

2 – Método

Qual o método do programa de ensino bilíngue utilizado na escola? Esta é uma questão importante. “A ideia é que os alunos sejam amplamente expostos à língua inglesa. Que realizem atividades coerentes e adequadas a sua idade. Que utilizem o inglês como meio de comunicação e não como apresentação de estruturas linguísticas. Desta forma, as crianças conseguirão desenvolver conceitos gerais e tratar de assuntos relacionados a sua idade em inglês”, explicam as educadoras;

3 – Professores

Os professores são os responsáveis por desenvolver todo o método de ensino bilíngue durante as aulas. Mais do que isso. Por garantir o aprendizado do idioma pelo aluno. Por isso, devem ser fluentes na língua inglesa para oferecer naturalidade na comunicação com as crianças.

4 – Processo

O aprendizado bilíngue é um processo que não acontece rapidamente, mas é possível que seu desenvolvimento seja avaliado no decorrer do curso com o objetivo de checar se realmente está levando resultados para os alunos. Assim, o diálogo da escola com os pais e a troca de informações são formas de demonstrar o que está ocorrendo durante o processo e não somente o resultado.

5 – Continuidade

É importante entender que quanto mais cedo a criança tiver exposição ao idioma bem falado e por muitas horas, melhor será o resultado. No entanto, se a criança começa o aprendizado bilíngue aos 2 anos de idade, por exemplo, e aos 5 já não tem mais exposição, com certeza vai haver um retrocesso no aprendizado. O processo de aquisição de uma língua é longo e o desenvolvimento desta língua em um nível mais formal, ainda mais. Por isso, é preciso que a criança participe do programa do começo ao fim, sendo que a idade mínima para consolidação do idioma é entre 12 e 13 anos.

2 Discussions on
“Escola bilingue: 5 dicas para ajudar a escolher”
  • Vou me mudar para Porto Rico com a minha família e por meus filhos numa escola bilingue(inglês e espanhol)só que eles não falam nem inglês nem espanhol.O de 6 anos será alfabetizado como?O outro terá 9 anos e um de 13 que só sabe inglês.Fiz a escolha certa?

    • Dominique, não sei te responder com certeza sobre o de seis anos. Sei que no Brasil escolas bilingues alfabetizam em inglês. E o português vem depois. Isso na maioria dos casos. Seus outros dois filhos aprenderão rapidinho os dois idiomas tb, criança é rápida, muito mais do que a gente! E sim, acho que vc fez uma escolha certa! Mudança é sempre bom. Eles vão aprender novas línguas, novas culturas. Vai ser bem especial! Bjs e boa sorte!

Deixar um comentário

Seu email não será divulgado.

x

Família Muda Tudo!

Assine o Blog da Família Muda Tudo!

*