Briga entre irmãos: o que fazer?

Briga entre irmãos. Coisa mais normal do mundo. Eu e meu, por exemplo, nos damos super bem hoje. Mas nós quebrávamos o pau na infância/adolescência. E na minha casa a história se repete. Temos briga entre irmãos todos os dias por aqui. Na verdade Nina e Maitê passam horas brincando juntas. Mas, de repente, não mais que de repente…uma começa a provocar a outra e aí já viu…briga na certa!
Já tentei de tudo. Deixar de castigo quem provocou. Quem continuou. Quem não parou. Quem falou. Que retrucou. Já tentei deixar as duas brigando até cansarem. Já tentei gritar mais alto do que elas. Ameacei cancelar o programa do fim de semana das duas…Enfim, nada deu certo até hoje. Que dureza.
Sendo assim não paro de pesquisar sobre o assunto. Pois pesquisei tanto que cheguei nas informações do Alexandre Pedro, Psicanalista pela Sociedade Internacional de Psicanálise de São Paulo. Ele diz que evitar os confrontos e ainda ser imparcial pode parecer uma tarefa difícil, mas não impossível (não???). Porque, pra mim, confesso, parece.

Briga entre irmãos: o que fazer?

Confira abaixo as 5 dicas que ele diz que vão melhorar a harmonia e a convivência entre as nossas crianças:

1 – Não rotule e nem compare durante uma briga entre irmãos:

Segundo o profissional até pequenos rótulos colocam mais lenha na fogueira. Se a mãe chama um de “o estudioso”, automaticamente entende-se que o outro não gosta de estudar. Fazer comparações no meio de uma briga, então, só piora a situação. É muito comum ouvir “seu irmão está quieto, para de implicar com ele”. Qualquer coisa que você diga a favor de um, vai soar como proteção. E isso só vai alimentar sentimentos ruins, como ciúme, inveja e baixa autoestima.

2 – Reserve um tempo do seu dia para cada um dos filhos:

Leia um livro para um, ajude na lição do outro. Sua atenção deve ser exclusiva, e a qualidade desse tempo precisa ser igual para todos. Dar atenção separadamente fará com que cada um se sinta seguro e amado de forma única, evitando brigas pela disputa do seu afeto.

3 – Seja mediador, não um juiz:

Durante uma briga entre irmãos, jamais tome partido de alguém. A rivalidade só vai aumentar. Seu papel é mediar, e não julgar. Traga os dois lados para conversar e ajude-os a chegar a uma solução que seja boa para ambos. Desse modo, não haverá ganhadores ou perdedores, e eles ainda aprendem uma habilidade importante para futuros conflitos.

4 – Não obrigue as crianças a dividir:

Aprender a dividir é muito importante, assim como aprender a ter limites. Porém, quando a criança é forçada a dividir algo com o irmão, irá assimilar isso como uma coisa negativa, e não vai querer fazer de novo. Ao invés de obrigar a criança a emprestar o brinquedo, tente outra abordagem como “é o brinquedo novo do seu irmão, você terá sua vez quando ele acabar de brincar”. O dono do brinquedo se sentirá seguro e, com o tempo, menos possessivo. Assim, o ato de emprestar se tornará natural e espontâneo.

5 – Tolere as crises de raiva:

Crianças repetem um determinado comportamento que funcionou para elas. Quando os pais cedem às crises de raiva e dizem “dá a vez para o seu irmão agora”, estão incentivando a rivalidade entre os irmãos e mostrando que a birra é uma boa tática para conseguir o que quer. Mostre que a crise de raiva não funciona e espere passar sozinha. Ignorar os rompantes pode ser difícil, especialmente em locais públicos. Mas lembre-se que a crise é o meio que a criança usa, temporariamente, para demonstrar sua insatisfação, e não há problema nisso. Aprender a relevar esses pequenos desapontamentos servirá para a vida futura de seus filhos, além de resultar em uma maior tranquilidade em casa.
Enfim, vou testar tudo isso e ver se a paz volta a reinar por aqui. Espero que as dicas ajudem você também.

Deixar um comentário

Seu email não será divulgado.

x

Newsletter Familia Muda Tudo

Cadastre-se em nossa newsletter!