Babá da Famiília: Uma babá que entrou pra família

Luana é uma babá que entrou para a família. Mesmo. Chegou na minha casa quando Nina tinha 2 meses. Eu nunca tinha tido babá, era minha primeira experiência como mãe. Não sabia nem o que perguntar, muito menos que ordem dar! Mas ela sabia o que fazer. Era uma menina ainda mas arrumava o armário da minha pequena por cores, dobrava as peças com cuidado e guardava como se fosse prateleira de loja. Fazia papinhas com vegetais que eu nem sabia que existiam. Cuidava da minha filha como se fosse dela! Na verdade, aos poucos, Nina se tornou também um pouco dela. E eu também. E Luana passou a ser nossa: ela entrou pra família!!!

Babá da família

Criei por essa menina uma admiração e um respeito que só cresceram com o tempo. Não me imaginava sem ela. Luana casou, mas continuou trabalhando comigo como babá, ou melhor, me ajudando como ninguém. Mudamos de casa. Ela foi junto. Engravidei da Maitê. Ela permaneceu lá. Firme e forte. Não tinha mais a mesma disponibilidade, era uma mulher casada, mas continuava cuidando da casa e do que mais a gente precisasse com uma dedicação e um carinho que não se encontra facilmente por aí.

Um dia ela pediu demissão…

Um dia pediu demissão. Disse que não podia mais ficar, tinha outros planos. Perdi o chão, mas aceitei. Quando voltava do trabalho vi Luana com a cara triste. Ela não queria ir embora, só achava que não estava me ajudando como deveria. Consolei minha amiga e seguimos juntas, nos ajustando uma ao horário da outra. Até o dia que ela me contou que estava grávida. Que benção. Abracei Luana com alegria de quem abraça uma filha, uma irmã (há muito tempo ela era muito mais do que minha babá)! Eu sabia que esse dia tão especial ía chegar e que ela seria a melhor mãe do mundo, por isso tanta festa! Que delícia participar desse momento!!!

Peguei tudo que tinha guardado das meninas e entreguei pra ela como quem entrega um tesouro. Eram peças que faziam parte da história das minhas filhas. Muito mais do que pijamas, bodies e vestidinhos, eram roupas que me traziam recordações, que ficariam na minha memória pra sempre. Demorei para escolher alguém pra recebê-las por isso. Queria que a “escolhida” desse valor. E Luana dava. Sabia o real valor emocional de cada blusinha, de cada casaquinho. E, além disso, tinha me ajudado a preservar tudo. Lavava com amor, passava com cuidado. Nada mais justo do que receber esses presentes.

Heloísa, a primeira filhinha da Luana, nasceu super saudável e linda e usou tudo que minhas filhas usaram. Eu ficava orgulhosa de ouvir Luana dizer que nunca tinha precisado comprar nada pra filha. Me dava mais vontade ainda de cuidar de cada peça de roupa delas que depois seria da filha da Luana.

Ela voltou!!

Helô cresceu um pouquinho e Luana voltou pra nossa casa. Ficou mais um tempo cuidando da limpeza e da comida, mas sempre de olho nas pequenas, sempre com um carinho especial por mim e pelo Gui, pela Nina e pela Maitê. Quando decidimos nos mudar de país Luana chorou. Eu também. Nossa despedida foi super dolorosa, assim como de todos que amamos e deixamos tão longe http://familiamudatudo.com.br/o-dia-da-mudanca/. Me emociono só de pensar. Luana, seu marido e sua filha já tinham se tornado da família. Desde então nos falamos muitas vezes, não perdemos contato.

Dia desses Luana me ligou contando que está grávida da segunda filha. Elisa vem aí. E, o mais fofo: vai ser mais uma a usar as roupas que foram da Nina, depois da Maitê, depois da Heloísa. Sim, quatro meninas, as mesmas roupas, o mesmo amor.

Pra me deixar ainda mais emocionada minha amiga mandou fotos das roupinhas que eu comprei pra Nina, outras que comprei pra Maitê e que hoje recheiam os armários da casa dela e que serão usadas por sua segunda bebê! Tudo tão bem preservado, tudo intacto como se fosse novo!!! Me deu saudade de um tempo que passou, me deu tristeza da distância da minha amiga, me deu uma alegria por fazer parte, de alguma maneira, desse momento! Estamos longe uma da outra, mas nossos corações continuam tão próximos…familiaetudoumababa

familia

 

 

6 Discussions on
“Babá da Famiília: Uma babá que entrou pra família”
    • Que legal que você gostou! Fiquei muito feliz de fazer um post contando essa história pq a Luana é muito importante para a minha família e porque é tão difícil encontrar pessoas assim hoje em dia, né? Bjs

  • Patrícia, estudei com a Cris Moraes e leio alguns dos textos MARAVILHOSOS que você escreveu pra ela no FB. Impossível não se emocionar e se deliciar com as sua palavras! Através delas você transmite todo o amor pela família e pela arte de ser mãe. Parabéns! Um beijo, Cristina Bruck

    • Que linda mensagem!! Obrigada pelo carinho, Cris! A outra Cris é minha amiga há muitos anos e sou apaixonada por ela, ela sempre me inspira a escrever!! E sim, sou louca pela minha família, que bom que dá pra perceber isso nos meus textos!! Um beijão

  • Por isso você é abençoada! Sabe reconhecer o valor das pessoas, Luana teve muita sorte de ter encontrado uma ‘patroa’ como você. Patrícia, você é iluminada, cada dia te admiro mais! Beijo grande!

Deixar um comentário

Seu email não será divulgado.

x

Newsletter Familia Muda Tudo

Cadastre-se em nossa newsletter!