View this post on Instagram

À todas as mães que já foram julgadas... - Desde quando colocar um bebê pra dormir no berço é crime?! Ontem postei um vídeo do Lucca dormindo em pé no berço. Ele sempre vai pro berço depois do mamá, sonolento, mas acordado, e lá ele brinca, faz uma ginástica do sono que eu adoro assistir pelo monitor. E antes da soneca da tarde de ontem, no meio dessa ginástica ele levantou e tava tentando se equilibrar dormindo, sem choro, só tentando ficar em pé enquanto dormia. Se você não concorda com a maneira que uma mãe educa um filho, tudo bem, as críticas e os julgamentos são inevitáveis, mas não acuse uma mãe de não amar um filho por isso. Ninguém nesse mundo ama mais esse filho do que a própria mãe. Eu acho lindo a cama compartilhada, tentei nos primeiros meses, mas eu não conseguia dormir de medo de sufocar meu bebê. Por isso desisti dessa opção e o Lucca foi pro berço, mas isso não quer dizer que não amo meu filho, que não dou colo para ele, que não o atendo quando ele precisa. O Lucca dorme a noite toda desde os 4 meses, no berço dele, no escurinho e no silêncio do quarto dele, sem tortura alguma, isso aconteceu de uma maneira natural. Eu acredito que dormir cedo, no quarto dele, no silêncio e no escuro, são hábitos saudáveis de sono, e não falta de amor. Não sou a mãe perfeita, nem quero ser, não preciso provar pra ninguém que sou boa mãe, só quero dar o meu melhor pra ele, amar e curtir cada segundo do crescimento dele. A cada minuto que passa ele me ensina que eu nada sei e que a única certeza é o AMOR! Meu maior sonho era ser mãe, por isso resolvi abrir mão de muita coisa da minha vida para ser mãe em tempo integral, para estar 100% do lado dele, porque é o que o meu coração me pede, é maior do que qualquer outra coisa. E nessa jornada como mãe, não me faltam dúvidas, mas também não me falta amor pra dar, tenho me doado de corpo e alma, dou muito colo, amamento há 19 meses em livre demanda e desde que ele nasceu a única pessoa que o coloca pra dormir sou eu, ele nunca foi dormir sem o peito, sem o meu colo, sem o meu carinho, o que muitos acham um exagero pra um bebê da idade dele, mas a verdade é que amor nunca é demais! - #maternidade ❤️

A post shared by Fernanda Machado (@realfemachado) on

Julgamento de mãe tem que parar!

Se o filho tem rotina a mãe é julgada. Se não tem também é. Se ela dá o peito até ele crescer é julgada. Se não dá também é. Até quando vamos aceitar o tribunal das mães perfeitas? O julgamento da patrulha das politicamente corretas? A tirania das que nunca erram e estão sempre de olho no tropeço alheio?

Chega de julgamento!

Dessa vez a vítima foi a atriz Fernanda Machado, mãe do fofo Lucca, de um ano e sete meses. Fernanda ainda amamenta o filho em livre demanda (ou seja, ele mama quando quer no peito da mãe), Fernanda abriu mão de carreira para cuidar do filho em tempo integral. Fernanda é a única pessoa que coloca o pequeno pra dormir desde que ele nasceu. Mesmo assim ela também foi para o banco dos réus. O motivo? Colocar o filho para dormir no berço!!!! Que crime cruel!!

Pelo menos foi isso que disseram parte dos seguidores dela depois da atriz postar um vídeo nas redes sociais em que o pequeno Lucca aparece no berço, acordado, mas “brigando”com o sono, como todas as crianças fazem. Nas imagens ele não chora, não chama pela mãe, nem de longe parece estar sofrendo. Mas as mães perfeitas viram aí um absurdo sem tamanho, uma total falta de amor. “Como assim não dar colo pra ele?”, perguntaram alguns. “Que pecado deixá-lo sozinho no berço acordado”, disseram outras. E por aí vai…

Desabafo

Fernanda então decidiu responder e, em sua conta no Instagram, postou um vídeo com o filho pedindo menos julgamento. “À todas as mães que já foram julgadas… Desde quando colocar um bebê pra dormir no berço é crime?! Ontem postei um vídeo do Lucca dormindo em pé no berço. Ele sempre vai pro berço depois do mamar, sonolento, mas acordado, e lá ele brinca, faz uma ginástica do sono que eu adoro assistir pelo monitor. E antes da soneca da tarde de ontem, no meio dessa ginástica ele levantou e estava tentando se equilibrar dormindo, sem choro, só tentando ficar em pé enquanto dormia, coisa mais fofa. Mas fui acusada de estar torturando meu filho, deixando ele sozinho no berço, de estar colocando ele em risco, de não amá-lo, de não dar colo”, explicou.

“Meu maior sonho era ser mãe, por isso resolvi abrir mão de muita coisa da minha vida para ser mãe em tempo integral para estar 100% do lado dele, porque é o que o meu coração me pede, é maior do que qualquer outra coisa. […] Maternidade, julguemos menos, apoiemos mais”, completou.

Dá pra ajudar em vez de criticar?

É isso. Precisamos de menos julgamentos e mais apoio. De mais mãos amigas, de mais abraços, de mais beijos, de mais compreensão. Ter um filho não é como seguir uma receita de bolo. Não existe só o certo e o errado. Existe também o que eu acho bom para os meus filhos e o que você acha bom para os seus. Passou da hora de acabarmos com esse tribunal de mães!

Ah! Fernanda, só pra constar: minhas filhas também foram amamentadas em livre demanda (e elas mesmas  decidiram quando parar de mamar), minhas filhas também sempre dormiram no berço (e eu também acompanhava na babá eletrônica a “ginástica” e a “cantoria” delas antes de pegarem no sono), minhas filhas também sempre dormiram cedo, no escuro e em silêncio (e é assim até hoje). O que quero dizer com isso não é que você está certa. Nem errada. Ao te contar isso quero apenas te incentivar a continuar fazendo sempre o que VOCÊ acha melhor pro seu filho! Ninguém sabe mais sobre ele do que você! A propósito, seu pequeno é fofo demais!

 

4 Discussions on
“Julgamento de mãe tem que parar!”
  • Não quer ser julgada? Não se exponha mais que o necessário. Também não vi nada demais no vídeo, mas é impossível que ela não soubesse que postando um vídeo desses, não seria criticada pelos pentelhos da internet, que estão sempre sequiosos por uma polêmica qualquer, Fico com a nítida impressão que a intenção é justamente essa: postar algo a toa para causar confusão. E isso vale pra você também Patrícia. Já li um post seu se culpando por ter esquecido o dia da fantasia da escola. Qualquer pessoa sensata sabe que isso não te faz uma má mãe, mesmo assim você compartilhou esse fato tão “importante” aqui no Blog para se questionar se era ou não uma boa mãe. O que você esperava? Críticas pesadas do tipo: ” nossa que mãe degenerada”? E se te dissessem isso? Você com certeza rodaria a baiana e diria que não merecia julgamentos por algo tão banal. Para mim ficou clara sua intenção de apenas querer receber elogios.

    • Não concordo, mas respeito a sua opinião com relação a Fernanda. Com relação ao meu post (a todos eles, inclusive) acho importante registrar que minha intenção não é receber nem elogios e nem críticas, é apenas mostrar que nós mães somos todas iguais, estamos sempre tentando acertar. Meu objetivo sempre foi que outras mães se identificassem com coisas que acontecem no meu dia-a-dia, por exemplo e, assim, não se sentissem sós nesse desafio diário que é ter filhos! Bjs

      • Eu sei qual é a sua intenção, só acho que nesse post especificamente você forçou um pouco a barra. Uma pessoa que se questiona num blog se é boa mãe pelo simples fato de ter esquecido a fantasia da filha, para mim, estava sim querendo receber elogios. Bjs e suas filhas são lindas!

        • Ok, não foi a intenção e nem me questiono num blog. Me questiono no MEU blog, que é um canto MEU onde desabafo, falo das minhas dúvidas como mãe, mulher, etc e troco experiências. Não estou querendo nem elogios e nem críticas, estou só sendo transparente. Mas os elogios e as críticas fazem parte, até porque nem sempre as pessoas entendem nosso objetivo com uma frase ou um texto. Mas o meu, importante dizer, é só trocar experiências com quem passa por uma fase parecida! Bjs e obrigada pelo carinho com minhas filhas

Deixar um comentário

Seu email não será divulgado.

x

Newsletter Familia Muda Tudo

Cadastre-se em nossa newsletter!