familia facebook pixel

Bastidores de um parque de Orlando

Sexta-feira fui convidada a conhecer os bastidores de um dos parque de Orlando. Um lugar que pouca gente tem acesso, mas que é mais legal do que todas as outras atrações juntas. Trata-se do “hospital” do Sea World.

Bastidores

Nessa área restrita conheci mais do que o local para onde são encaminhados animais resgatados e feridos. Conheci laboratórios de primeira, ambulâncias e barcos que são usados nos resgates e muito mais. Vi um lado de preservação muito sério. Vi uma equipe que cuida da saúde dos animais desde o resgate deles até a sua recuperação. Vi veterinários, biólogos, educadores. E me encantei com o projeto.

Em parceria com o governo e com outros membros credenciados para o salvamento de animais, o SeaWorld Parks & Entertainment opera um dos mais respeitados programas de resgates de animais marinhos feridos e doentes, com o objetivo de reabilitá-los e, o mais importante, devolvê-los saudáveis à natureza.

Pouca gente sabe, mas especialistas do parque SeaWorld já ajudaram mais de 31 mil animais – feridos, doentes, órfãos ou abandonados – em mais de 50 anos (mais informações podem ser encontradas no SeaWorldCares.com).

Interação

Enfim, outro ponto legal é que levei Nina e Maitê comigo e pude ver as duas interagindo com aves, pinguins e outros animais que normalmente não fazem parte do dia-a-dia delas. Vi as duas super interessadas, perguntando (sem parar) sobre a rotina dos animais. Vi as duas preocupadas com os bichinhos feridos. Vi minhas filhas conhecendo um mundo novo e, o mais legal, se encantando com ele.

Entre todas as coisas que pretendo fazer com elas uma das que julgo ser mais importante, quase que minha missão, é essa: mostrar o mundo. Quero apresentar às minhas filhas as milhares de opções que temos na vida. Quero que tirem suas próprias conclusões e que elas sejam baseadas em experiências e não no senso comum, como o que julga o Sea World sem saber como funciona o trabalho deles de verdade.

Pois Nina e Maitê vão formar suas opiniões a partir de fatos. De coisas que viram. Que aprenderam. Consequentemente não vão dar bola pro que os outros dizem. Concluindo, o que posso dizer que elas viram nesse passeio foi um trabalho incrível, de encher os olhos. De dar vontade de fazer parte. De sair contando pra todo mundo.

Acharam tudo tão incrível que Nina acaba de escolher outro segmento para a profissão que dedidiu seguir quando tinha apenas 4 anos. Agora minha filha quer ser veterinária de animais marinhos! E já decidiu onde quer trabalhar!