familia facebook pixel

Adaptação na nova escola

Ao pensar na mudança nada me preocupava mais com relação as meninas do que a adaptação na nova escola. Desde que decidimos morar aqui esse tema era um pesadelo pra mim. E continua sendo. Sei que elas vão se acostumar ao novo ambiente, as professoras, vão fazer amigos e aprender a falar inglês mas, até lá…não vai ser fácil. O começo, aliás, foi bem desanimador. E, uma semana depois, ainda não tivemos progressos.

O primeiro dia foi atípico, é verdade. Eu estava a trabalho no Brasil e elas foram com o pai para a aula. Ficaram 1h na classe e choraram tanto que o pai acabou levando as duas de volta pra casa. Me culpei por não estar presente, por ter tomado a decisão de mudar, por não poder ajudar. Mas a verdade é que minha presença mudaria pouco o cenário. A questão principal é mesmo a língua e a novidade, a ausência de colegas, o jeito diferente das professoras que, apesar de atenciosas, não são tão carinhosas quanto as brasileiras.

Enfim, logo que voltei tratei de “recuperar o tempo perdido”e fomos os quatro para a escola. Logo que entramos elas relutaram um pouco em ficar mas, alguns minutos de conversa e…bingo! Concordaram em ficar. Saí de lá pensando em como elas estariam e, pra falar a verdade, fiquei por perto, com medo que alguém da escola me telefonasse e pedisse para ir pegá-las. Nada disso aconteceu. Voltei no horário de saída mesmo e elas estavam animadas, brincando, sorrindo.

Ufa, certo? Errado! Quando o assunto é criança a gente tem que esperar pra comemorar. Hoje foi um novo drama, pior do que no primeiro dia. Nenhuma das duas queria ficar na classe, agarraram nas minhas pernas, choraram muito. A professora, assim como as do Brasil, me pedia para me despedir rápido e sair, dizendo que logo elas estariam bem, mas quem disse que eu conseguia? Deixar as coitadinhas lá, sem entender nada e ainda berrando? Meu coração de mãe não aguenta!!!

Relutei tanto em ir embora e deixá-las lá que a diretora me chamou pra conversar sobre a adaptação.  Depois de muita explicação entendi o processo todo e cheguei a conclusão de que teria mesmo que sair, mesmo com as duas chorando. Que difícil! Conversei com minhas filhas olhando no olho, dizendo o quanto  era importante enfrentar aquele momento e saí. Despedaçada. Mas saí. A diretora ficou tão preocupada comigo que 10 minutos depois me ligou para avisar que as duas já estavam ótimas, brincando (não sei se era verdade, mas aliviou a culpa!).

No horário da saída encontrei duas menininhas felizes por passarem a manhã brincando. Nem lembravam aquelas crianças assustadas que eu tinha deixado na escola de manhãzinha. Pronto. Era tudo que eu precisava para ter coragem de começar tudo de novo na segunda-feira. E na terça e na quarta…

NIna e Maitê na nova escola!

NIna e Maitê na nova escola!

 

17 Discussions on
“Adaptação na nova escola”
  • Oi Patrícia!
    Nossa imagino como seu coração deve estar…. Mas me tire umas duvidas por favor; no final do ano vamos nos mudar também, meu filho tem 5 anos, só tem aquele inglês de escola mesmo. Não existe nenhum programa que prepare a criança antes de introduzir na escola?? Nenhuma adaptado mais especifica??
    Obrigada
    Carol

    • Não sei dizer com certeza, mas eu coloquei as minhas no Summer Camp justamente pra dar uma preparada antes da escola de fato. Acho que dependendo da cidade vc até consegue algo diferente. Mas eles se adaptam rápido, vc vai ver! Bjo

  • Patricia me mudei para Miami a 4 meses, minha filha de 5 anos frequentou 2 meses o kindergarden, as primeiras semanas foram horriveis! Eu deixava ela na sala e saia chorando pelo corredor, ela ficou muito tristinha nos primeiros dias mesmo tendo um brasileiro na sala dela, mas no final já estava super adaptada, ela ter estudado em escola bilíngue por 3 anos em SP ajudou muito….Já descobri que nunca vai ser igual as escolas do Brasil, aqui as professoras são bem diferentes, bem mais secas, mas elas vão se adaptar! Estou ansiosa para o começo do primeiro ano dela em agosto! Abraços

  • Pati oi! Q gostoso acompanhar o sorriso feliz de tds ai!
    Acabo de voltar e senti o calor do verão na Flórida…

    Sobre a adaptação das lindas meninas
    Lembre-se:
    não existe criança que não se adapte, é uma questão de tempo!
    Vcs estão vivendo um turbilhão de emoções muito antes de partirem, na verdade, desde que decidiram ir. Entendo o quanto vcs pais, estão vivendo essa adaptação escolar, diferentemente do que no Brasil, quando deixavam tão tranquilos e sorrindo. Que bacana a diretora ter dado essa especial atenção!
    Mas…
    O que ajudará nesse momento:
    – despedidas antes de entrar no portão da escola, evitem abraçá-las e beijá-las muito na porta;
    – em casa, na arrumação, breves combinados que devem ser os mesmos sempre (vocês brincarão, aprenderão um monte de coisas e vamos buscá-las para brincar ou… depois);
    – façam uma mini rotina com papel e canetinha JUNTOS:
    desenhem cada momento do dia (isso é muito confortável pq dá a noção de continuidade, da passagem do tempo): corte pequenos pedaços de papel em tamanho igual; desenhe os momentos marcantes, use a imaginação, vale colar foto delas, recortes de revistas ou folders etc.
    Lembra das plaquinhas da rotina coladas na lousa da escola antiga?
    É isso!!
    Faça os momentos importantes e marcantes de um dia da semana e um dia do final de semana, depois, cole com elas, em local acessível, montando duas linhas do tempo – uma em cima (da semana) e outra embaixo.
    TODOS os dias, antes de sair para escola, repasse as plaquinhas… quanto mais vivenciarem a nova rotina, mais estabilizarão as emoções, pq conqistarão segurança.
    É mesmo difícil não encontrar ninguém conhecido, não achar a areia azul, não entender o que falam, não conhecer as referências. Mas… são pequenas, têm todas as chances para conquistarem tantos benefícios que essa mudança trará, alguns deles: serão crianças maia flexíveis, mais relacionadas, processando dois idiomas (quantos benefícios terão a partir disso)…
    Pense que em pouco tempo, toda novidade será uma rotina tranquila e muito terá valido a pena!
    Conhecendo vcs, penso q o coração apertado logo será o coração repleto de satisfação ao vê-las brincando com a maior naturalidade com novos coleguinhas, interagindo na nova língua com personagens nos parques e auxiliando novas criancas que encontrarem…
    Em mais alguns meses, elas serão boas ajudantes para outras crianças que estarão passando pelo processo de adaptação escolar.
    Será bacana se puderem ajudar os outros, gostam de ajudar… serão boas anfitriãs!
    Respirem fundo e vamos lá, pq só ganharão e os benefícios serão preciosos…
    A tarefa agora é: construir as plaquinhas e organizá-las em família!
    ;o)

    • Quem é???Dona Mariana??? Amei as dicas! Vou colocá-las em prática hj!!! Muitíssimo obrigada!!! Tenho certeza que é questão de tempo e que, em breve, vamos rir disso tudo! Ah! E quando vier pra Orlando venha visitar a gente! Vamos amar!! Bjo

      • Pati, rs…
        Que bom que gostou das dicas, faça delas um ritual que irão ajudar sim!
        Mesmo quando elas chorarem mais e mais alto, pq as segundas-feiras são sempre piores… lembre-se que isso vai passar.
        Ah, e não se esqueçam: a segurança delas virá de vocês! Nada de fraquejar na frente delas, nem na voz, nem no choro, nem no abraço angustiado. Quero ler aqui que deixá-las foi tão tranquilo quanto sempre! Faz de conta que é na escola anterior, dá tchau, olha nos olhos, diz que voltará depois e vai sem olhar para traz… elas precisam sentir que vocês estão em paz!
        Agora… só não entendi uma coisa:
        elas estão fazendo esses grupos de férias, né?
        Pq as aulas ainda não começaram!?!
        Então… elas terão necessariamente outra adaptação em breve?
        É mais para pertencerem a um grupo e ouvirem a língua né?
        O que ajudará muito, quanto mais contato com americanos agora, melhor.
        Elas rapidamente aprenderão, creio que de agosto até meados de setembro, outubro, já se arriscarão em falas com estrutura de frase entre amigos, pelo que vejo e estudo, é muto rápido!
        Não se preocupem com o aprendizado delas e sim com a estabilidade emocional, ok!
        Elas poderão retroceder novamente em agosto, mas é o novo, o inseguro… pensem que ninguém fica confortável em seu 1o dia de trabalho… então, imaginem elas, pequenas, sem tantos recursos para se comunicar.
        Promovam o máximo de atividades lúdicas entre americanos, conhece a Gymboree, né? Pq não colocá-las para brincar nos programas avulsos que oferecem?
        Qq coisa, vamos trocando ideias, vcs estão fazendo um universo de diferença na vida delas!!!
        Fiquem bem!
        bjs Azi

        • Adorei as dicas! E sim, elas terão uma nova adaptação no fim de agosto, quando começam as aulas. O Summer camp foi uma maneira de fazê-las ter mais contato com a língua. Aos poucos sinto que estão mais confortáveis e nós também! Estamos mais seguros em deixá-las lá felizes. E tenho certeza que em breve as conversas com os amigos vão sair! Rs!!! Não vejo a hora, aliás! Super obrigada por tudo!! Bjo grande

  • Oi Patricia
    Não conhecia seu blog, e na verdade li apenas a matéria sobre a adaptação das meninas na escola. Eu me mudei para cá a 3 meses, e passei por isso também. Mas aqui em Columbia MD onde moro existe um programa que chama Englis Second Language ESL, minha filha participa e isso ajudou muito na adaptação dela. Ela tinha uma pessoa na escola focada nela em ajudá-la. Verifique se não tem ai na sua cidade tbm. Bjs

  • Vai ser duro pra elas nesses primeiros dias mas é tudo pro bem delas…vai dar certo! Paciência pra gente 🙂

  • Imagino o quão difícil deve estar sendo a adaptação das meninas, me coloco no seu lugar, meu filho estuda desde os 4 meses na mesma escola que eu trabalho e o ano que vem ele vai pro primeiro ano e vai para outra escola e eu já estou com o coração apertado só de pensar, e olha que a língua é a mesma, fico imaginando vcs com tantas mudanças.

Deixe seu comentário!

x

Família Muda Tudo!

Assine o Blog da Família Muda Tudo!

*